Psicóloga de Henry é intimada a depor sobre a morte do menino
Reprodução
Psicóloga de Henry é intimada a depor sobre a morte do menino

A Polícia Civil do Rio de Janeiro intimou uma psicóloga para que preste depoimento nos próximos dias sobre o acompanhamento terapêutico que fazia com Henry Borel Medeiros , de 4 anos, desde o início de fevereiro — um mês antes da morte do menino.

A profissional foi escolhida pela mãe da criança, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva — que, em quatro meses se separou do engenheiro Leniel Borel de Almeida e foi morar com o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade) — para que orientasse a família na nova etapa de vida.

De acordo com o engenheiro , após o pedido de divórcio feito pela professora, o casal chegou a conversar sobre a necessidade das consultas. Leniel sugeriu uma profissional em Madureira, mas Monique optou por outra, pela proximidade de seu consultório com o apartamento para onde se mudou com Jairinho e o filho em novembro, no condomínio Majestic, na Barra da Tijuca .

Você viu?


Desde o início de fevereiro, Henry havia participado de cinco sessões com a psicóloga . Ele também estava matriculado em uma sala de 15 alunos da Pré-Escola do Colégio Marista São José, que fica a quatro minutos de carro do Majestic, onde frequentou 20 dias de aula. Funcionários, professores e pais de alunos não chegaram a notar nenhuma anormalidade no comportamento da criança.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários