Presidente atacou a imprensa, o PT e o MST ao longo de sua fala; confira
Reprodução
Presidente atacou a imprensa, o PT e o MST ao longo de sua fala; confira

Durante cerimônia de entrega de trecho de ferrovia em São Simão (GO), nesta quinta-feira (4), o  presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a imprensa brasileira. Segundo ele, os veículos estão "perdendo a credibilidade" e se transformaram em "partidecos políticos de esquerda".

"Que imprensa é essa que nós temos, que fica com lupa só esperando uma frase minha para me atacar? Há 10 anos, o jornal Estado de S. Paulo tinha mais de 500 mil assinantes. Hoje, nem os 10 maiores juntos têm 500 mil assinantes. Eu quero uma imprensa forte, cada vez mais livre", afirmou Bolsonaro .

"Nunca ouviram de mim falar sobre controle de mídia ou democratização, que são palavras bonitas da esquerda para fazer exatamente o contrário. A imprensa é extremamente importante pra nós. O que eles publicam aqui, repercute lá fora. As pessoas acham que nós ainda somos seres pré-históricos, não enxergam o nosso desenvolvimento. É só crítica, não tem uma palavra boa. Será que hoje vai sair nota dizendo que eu estava sem máscara de novo?", questionou o presidente , enquanto discursava sem máscara no evento.

Na sequência, ainda sobrou tempo para novos ataques contra a esquerda, em especial o PT, chamado por Bolsonaro de "partido do mal": "imaginem vocês se o PT tivesse ganho as eleições? E por falar neles, há dois anos não se ouve falar em MST. Por que? Fizemos a nossa parte: acabei com o dinheiro de ONGs para eles. Algumas boas foram para o espaço, mas isso é efeito colateral".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários