Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes
Divulgação
Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes

Nesta sexta-feira (29), o prefeito do Rio de Janeiro , Eduardo Paes, afirmou que a partir de agora, as escolas serão as últimas a serem fechadas nas medidas de restrições contra a proliferação da Covid-19 na cidade. As informações foram apuradas pelo G1. 

"Se tiver que fechar alguma coisa daqui pra frente, a última coisa que vai fechar é a escola", disse o prefeito. 

Declaração foi feita no momento em que o quarto boletim epidemiológico carioca era divulgado. As 33 regiões administrativas continuam com risco alto pela segunda semana seguida

"Vai fechar o comércio antes, a academia antes, a piscina antes, a praia antes. Vamos inverter essa lógica maluca que se inventou no Brasil que a gente vai abrindo tudo e a escola fica fechada", afirmou o prefeito. 

Você viu?

O retorno das aulas remotas para a rede municipal, no Rio, está marcado para o dia 8 de fevereiro e dia 24, as aulas presenciais estão marcadas para começar. Já na rede particular, as voltas às aulas estão marcadas para 1° de fevereiro. O prefeito declara que o fechamento das escolas afeta no aprendizado dos alunos. 

"A gente já tem uma pandemia que tem trazido a morte de muita gente, a gente não precisa matar uma geração de crianças que não vão conseguir se alfabetizar, que não vão ter o aprendizado adequado, chega", apontou. 

Segundo a prefeitura, medidas que vão de acordo com a preservação à vida não sofreram alterações. Medidas como distanciamento de 1,5 metro entre as mesas nos restaurantes e a proibição de consumir produtos em pé ainda valem. Supermercados, farmácias e shoppings devem continuar operando com dois terços de sua capacidade. E boates podem continuar abertas, mas com um quarto de público e sem pista de dança. 

Até na quinta-feira (28), o Rio apresentava uma média de 17.017 mortes e 187.339 casos confirmados do novo coronavírus. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários