Governador João Doria (PSDB)
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Governador João Doria (PSDB)

O governador João Doria (PSDB) realizou, neste domingo (17), uma coletiva de imprensa para falar sobre a vacinação contra o novo coronavírus (Sars-coV-2) no estado. 

Ao falar sobre o início da imunização, Doria alfinetou Jair Bolsonaro (sem partido) e o minsitro da Saúde, Eduardo Pazuello. "Brasil agora tem uma vacina porque São Paulo fez, não foi Jair Messias Bolsonaro, não foi Pazuello, foram os cientistas do Butantan", disse. 

Doria e o Ministério da Saúde

Questionado sobre a distribuição das doses e se houve alguma comunicação com o Ministério da Saúde para reter o imunizante no estado, a pedido do governador, Antonio Imbassahy, chefe do escritório de São Paulo em Brasília, revelou uma conversa que teve com o ministério.

Você viu?

" Logo no início da reunião da Anvisa hoje, eu recebi uma ligação do secretário nacional de vigilância e saúde, Dr. Arnaldo Medeiros, colocando com exatidão o número de vacinas que ficaria em São Paulo. Nesse conversa, ele entendeu, que se pudesse, as vacinas nem precisariam sair daqui ". 

"Neste momento, o governador que estava ao lado, falou: 'é isso que iremos fazer. Então, logo que a Anvisa liberou as vacinas, imediatamente elas foram colocadas a disposição do governo federal. E a quantidade é exatamente o número de doses que o plano nacional de imunização determinou para São Paulo. Não teve interesse em fazer algo diferente". 

Após isso, o governador completou. " São Paulo tem a transparência que o governo federal não tem ". 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários