cobra naja
Ivan Mattos/Zoo de Brasília
Ensaio fotográfico da cobra naja que picou estudante de 22 anos

A cobra naja que picou o estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Krambeck em julho do ano passado foi transferida de Brasília para o Instituto Butantan , em São Paulo . O acidente com a serpente deu origem a uma investigação sobre tráfico de animais exóticos no Distrito Federal . As informações foram dadas pelo G1 .

A naja, considerada uma das mais venenosas do mundo, foi transferida para o Butantan em agosto, segundo o portal. Após passar por uma quarentena, ela foi levada ao Museu Biológico, criado para ajudar na conscientização sobre a importância de respeitar as espécies.

De acordo com o diretor do museu, Giuseppe Puorto, a cobra se adaptou bem à nova 'casa'. No momento, o espaço está fechado por conta da pandemia, porém, quando reabrir, a naja poderá ser vista pelo público.

"Nossa intenção, com esse animal, é fazer um trabalho de educação ambiental mostrando o problema de ter um animal exótico e peçonhento, que entrou no Brasil ilegalmente", diz Puorto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários