Acusado sendo levado para delegacia em Arraial do Cabo, Região dos Lagos do Rio de Janeiro
Divulgação
Acusado sendo levado para delegacia em Arraial do Cabo, Região dos Lagos do Rio de Janeiro

Por cerca de duas décadas, uma mulher foi estuprada e mantida em cárcere privado por um homem de 67 anos na Região dos Lagos , no Rio de Janeiro . A Polícia Civil de Arraial do Cabo prendeu o suspeito após agentes no decorrer da investigação, descobrirem que o acusado vinha ameaçando a vítima.

Com as informações apuradas, a vítima hoje com 38 anos, disse em seu depoimento à polícia que foi levada para a casa do réu quando tinha somente 12 anos e vivia nas ruas da cidade do Rio pedindo dinheiro. O agressor havia lhe prometido um emprego, comida e moradia. Porém, logo quando chegou a casa, os abusos sexuais tiveram início.

O homem a levou para sua moradia, lhe apresentou para sua esposa e filho como uma filha de um relacionamento antigo. O acusado passou ameaçar a vítima dizendo que se ela contasse para sua família o que acontecia entre eles, voltaria para as ruas. Consequentemente, após anos de abusos, ela acaba engravidando do idoso, já maior de idade.

Ainda em seu depoimento à polícia, ela conta que além de ser abusada sexualmente, passou a ser agredida fisicamente e ameaçada após ela ter arrumado um namorado e dar indícios de que sairia de casa. A esposa do homem também passou a ser agredida.

A Delegada Patrícia de Paiva Aguiar declara que o acusado tentava anular a possibilidade da vítima levar uma vida normal. Em algumas ocasiões, ele chegou a permitu que ela saísse, mas a vítima nunca tinha coragem em procurar uma delegacia pois vivia sob ameaças e tinha medo do que ele poderia fazer. Até que um dia ela tomou coragem e contou tudo para o filho do agressor, que considerava como um irmão, o que vinha passando durante esses anos. Então, ele procurou a polícia para denunciar o pai e as investigações tiveram seu início.

Você viu?

"Depois de anos de sofrimento, essa vítima, finalmente, teve coragem de contar para a família o que vinha acontecendo e pediu ajuda do irmão para salvá-la, pois o agressor a mantinha em cárcere privado" diz a delegada.

O agressor foi indiciado por coação no curso do processo, cárcere privado e estupro de vulnerável. Com os crimes somados, o homem pode pegar uma pena de até 24 anos de prisão. A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do acusado após tomarem conhecimento de que ele estava ameaçando a vítima ao logo das investigações.

Ainda de acordo com a delegada Aguiar, mesmo com essa situação se prologando por todos esses anos, a família nunca desconfiou dos abusos e que o filho era do agressor, pois não imaginavam que a filha poderia ter sofrido um estupro.

"Nunca desconfiaram que o filho era dele (do idoso). Ele era agressivo e se escondia na capa de um pai protetor", declara a delegada Aguiar.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários