Nas imagens, é possível ver momento em que um dos jovens é agredido por agente
Reprodução
Nas imagens, é possível ver momento em que um dos jovens é agredido por agente

Um vídeo gravado em uma praça da Cohab I, em Palmares, na Mata Sul de Pernambuco, supostamente na noite do último sábado (26), viralizou nas redes sociais ao mostrar um  grupo de policiais militares agredindo um jovem e ameaçando outros após responderem a uma denúncia de som alto e aglomeração na região.

Nas imagens, é possível ver que diversas pessoas estão no local quando os agentes chegam, abordagens são feitas, até que um dos homens presentes acaba sendo agredido com golpes no rosto. Ao perceberem que estão sendo filmados, os policiais chegam a ameaçar as pessoas que fazem a filmagem: "Tá filmando o que, aí? Some daqui".

Segundo informações do G1, a corporação informou que está analisando o vídeo e irá apurar a conduta dos PMs que participaram da ação por meio de um procedimento investigativo legal. Além disso, fez questão de ressaltar que a postura dos agentes flagrados é "fato isolado, fora dos padrões de atuação da equipe".

Ainda de acordo com a publicação, a Polícia Militar informou que o comparecimento dos agentes no local se deu após solicitação feita por moradores junto ao Ministério Público, por meio de um abaixo assinado, na qual reclamam dos transtornos provocados por um bar, como som elevado até altas horas da madrugada e aglomerações.

"Essa praça foi recém-inaugurada. Os jovens colocam carro com som e alguns moradores reclamam. Os policiais foram lá e, em vez de realizar procedimentos esperados, se excedem e terminam batendo em um rapaz de maneira desproporcional", afirmou Silvio Romero de Vasconcellos Pereira Junior, presidente da OAB/PE, subseção Palmares, em entrevista ao Uol.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil ( OAB ) disse que encaminhou um ofício ao Ministério Público Estadual em Palmares para que "medidas cabíveis" sejam adotadas, a fim do reestabelecimento da "dignidade humana, a não-violência e a não barbárie".

"Exigimos tolerância zero para toda e qualquer perturbação da ordem! Não vamos admitir perturbações à ordem pública e não vamos admitir abordagens policiais desproporcionais", finaliza o texto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários