Turistas podem visitar Fernando de Noronha desde que apresentem um teste RT-PCR negativo realizado um dia antes ou no próprio dia do embarque.
Ministério do Turismo / Divulgação
Turistas podem visitar Fernando de Noronha desde que apresentem um teste RT-PCR negativo realizado um dia antes do embarque.

Na noite da última quinta-feira (29), a Polícia Civil de Pernambuco prendeu quatro turistas por falsificarem exames do novo coronavírus (Sars-CoV-2) para entrar em Fernando de Noronha . As informações foram dadas pelo Diário de Pernambuco .

Por um pedido do Ministério Público (MP), dois homens e duas mulheres tiveram a prisão preventiva decretada.

Como protocolo de segurança para evitar o contágio pelo novo coronavírus, é necessário realizar um exame de Covid-19 um dia antes do embarque a Fernando de Noronha .

Os visitantes saíram de Tocantins e desembarcaram em um jato particular na última quarta-feira (28). “Ao chegarem na ilha, eles se recusaram a fazer exames , alegando que tinham feito os testes no mesmo dia e estavam aguardando os resultados”, informou a gestão do arquipélago.

Na pousada, os quatro turistas também se recusaram a fazer novos exames. No dia seguinte, quinta-feira, eles apresentaram testes .

“Nós desconfiamos da autenticidade dos exames porque a data da coleta, nos documentos apresentados pelos turistas, era muito distante da data de cadastro do usuário para a realização do exame no laboratório”, explicou o superintendente de Vigilância em Saúde do arquipélago, Fernando Magalhães.

O Centro Integrado de Vigilância em Saúde de Pernambuco foi acionado para contatar o Centro Integrado de Vigilância em Saúde do Tocantins.

Acessando os registros originais do laboratório que realizou os testes, autoridades do Tocantins descobriram que os exames foram feitos no dia 25 de outubro e a data havia sido adulterada para se adequar ao protocolo de entrada em Noronha.

Com isso, o quarteto foi submetido a uma quarentena e só será liberado após os novos resultados dos exames RT-PCR que serão realizados nesta sexta-feira (30).

Os turistas foram enquadrados nos crimes de falsificação de documento , uso de documento falsificado e associação criminosa. De acordo com a Polícia Civil, eles também são investigados pelo crime contra a saúde pública.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários