Agentes da prefeitura em fiscalização no Engenho de Dentro
Divulgação
Agentes da prefeitura em fiscalização no Engenho de Dentro

As ruas do Rio têm ficado cada vez mais cheias, mesmo que a pandemia do novo coronavírus não tenha acabado. As aglomerações e os pedestres sem máscara, na mesma toada, se tornam menos incomuns. Um indicador disso pode ser observado num levantamento que a prefeitura do Rio divulgou neste domingo, que mostra que, entre os dias 5 de junho – início das notificações – e o último dia 22 de outubro, foram registradas 8.238 infrações pela não utilização de máscara, seja em vias públicas ou em estabelecimentos comerciais. O número corresponde a 82,71% do total de 9.959 infrações anotadas durante este período pelos agentes.

De acordo com a Guarda Municipal, 7.769 infrações pelo não uso de máscara aconteceram nas ruas da cidade, e 469 dentro de estabelecimentos. São 606 advertências por aglomerações.

Raio-X das infrações

  • 8.238 infrações (82,71%) – Falta do uso de máscaras (sendo 7.769 nas ruas e 469 em estabelecimentos)
  • 598 infrações (6%) – Estabelecimentos essenciais em atividade fora do horário fixado
  • 403 (4,04%) infrações – Por aglomeração em estabelecimentos, incluindo filas
  • 203 (2,03%) infrações – Casos de aglomerações em via pública
  • 316 (3,17%) infrações – Estabelecimentos e atividades não autorizados a funcionar
  • 231 (2,31%) – Estabelecimentos e atividades essenciais fora das condições pré-determinadas

No geral, 8.147 (82%) autuações foram aplicadas em pessoas físicas por meio do CPF e 1.812 (18%) em pessoas jurídicas.

Neste fim de semana, as equipes atuaram em praças, parques, além de fiscalizar diversos tipos de estabelecimentos , como lojas comerciais, bares, restaurantes e quiosques. Nos fins de semana, as ações noturnas são direcionadas nos quatro micropolos gastronômicos: Rua Dias Ferreira, no Leblon; a Rua Nelson Mandela, em Botafogo; Avenida Olegário Maciel, na Barra da Tijuca; e Praça Varnhagem, na Tijuca.

Você viu?

Multas e até pula-pulas desmontados

Além desses pontos, outras áreas também receberam fiscalização, como a Mureta da Urca; orla de Copacabana; Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, Praça São Salvador, em Laranjeiras, Ruas do Catete e da Glória, na Zona Sul; Praça do Trem, no Engenho de Dentro, Vila da Penha, Madureira e Inhaúma, na Zona Norte; Praça Montese, em Marechal Hermes e na Praia da Bica e Praça Jerusalém, na Ilha do Governador, entre outros bairros.

A fiscalização nesses locais entre a sexta-feira, dia 23, e a manhã deste domingo, dia 25, resultou na aplicação de 238 multas de trânsito por diversas infrações, entre elas o estacionamento em locais proibidos, como na calçada, em fila dupla ou em vagas destinadas a idosos e a pessoas com deficiência.

No sábado, quando o bairro de Engenho de Dentro, na Zona Norte, recebeu a volta do tradicional Samba da Feira, que proporcionou cenas de muita aglomeração, os agentes da Guarda Municipal , da Secretaria de Ordem Pública, da Fazenda municipal e policiais militares também foram ao local.

De acordo com a prefeitura, foram encerraram atividades de 58 pontos comerciais - entre food trucks, atrações infantis (como pula-pulas e camas elásticas) e barracas de ambulantes – que funcionavam sem autorização na Praça Alberto Torres, no Engenho de Dentro. Ao todo, 26 barracas, 14 food trucks, dez bancas de ambulantes, quatro camas elásticas e dois pula-pulas infláveis foram desmontados ou fechados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários