mulher sendo arrastada pelo segurança
Reprodução
A paciente foi retirada a força, após se indignar com tratamento recebido por um dos funcionários

Uma paciente foi retirada a força de uma Unidade de Pronto Atendimento ( UPA ) após se indignar com o tratamento recebido por um dos funcionários, em São José do Rio Preto . As informações são do portal da IstoÉ.

Uma das pessoas que estava na recepção gravou a confusão. Na imagem, é possível ver o momento em que a mulher é arrastada por um segurança do local. A paciente é segurada pelos dois braços e tenta evitar a expulsão .

“Ele [o segurança] está me machucando. (…) eu não saio sem ser atendida”, esbravejou a mulher na gravação, segundo o portal. Logo em seguida, ela é levada para a área externa da UPA.

A situação

Ainda de acordo com a IstoÉ, a paciente buscava atendimento por apresentar crises de falta de ar associadas a estresse e ansiedade. Assim que passou pelo pré-atendimento na UPA Tangará, a mulher foi informada que, por causa da pandemia, os atendimentos a síndromes respiratórias foram centralizados na UBS do bairro Solo Sagrado, que seria 9,9 quilômetros de distância dali.

Após ter seu direito de atendimento negado e já teria ido até um Hospital de Base da UPA, a mulher iniciou a confusão. 

“Eles se negaram e eu também me neguei a sair sem o atendimento. Apenas me exaltei no tom de voz, pois fiquei indignada com o desrespeito e a falta de empatia para com o meu problema de saúde. Era como se eu não estivesse falando nada”, relatou a paciente.

A paciente ainda disse que teve o corpo marcado pelas mãos do segurança: "Vou registrar um boletim [de ocorrência] na Delegacia da Mulher, pois não quero que mais ninguém passe pelo que passei”, desabafou.

    Veja Também

      Mostrar mais