medico
Aliança internacional contra o câncer de mama / Reprodução
Médico era conhecido internacionalmente

Morreu neste domingo o médico e professor do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG), da Unirio, Carlos Alberto Morais de Sá, aos 76 anos. E le foi pioneiro no Brasil em atendimento a pacientes com Aids e um dos maiores especialistas no tema.

A causa da morte não foi esclarecida. Morais de Sá enfrentava problemas de saúde há alguns anos e passou mal no início da madrugada.

Ele foi levado para o Hospital Italiano, no Grajaú, onde residia, mas não resistiu. O sepultamento será na manhã desta segunda-feira no cemitério do Catumbi, restrito apenas a familiares.

"Morreu um ícone, meu ídolo e professor", afirma Fernando Ferry, superintendente do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle.

Graduado em Medicina em 1968, Carlos Alberto Morais de Sá estruturou, em 1983, o primeiro serviço para atender pacientes de Aids, no serviço de imunologia do Hospital Gaffré e Guinle, que anos mais tarde se tornaria o Centro de Referência Nacional em HIV/Aids

Foi lá que ele ajudou na criação do Viva Cazuza, ONG fundada em 1990 pelos pais do cantor para dar apoio aos pacientes com Aids. "Ele me ajudou muito. Só tenho a falar bem dele. Espero que ele tenha ido em paz", afirmou Lucinha Araújo, mãe de Cazuza.

Ferry conta que Carlos Alberto Morais de Sá foi quem descobriu a dose correta de determinados medicamentos para combater sintomas da Aids — protocolos que passaram a ser seguidos internacionalmente.

"Ele precisou lutar muito porque era um visionário. Como todo visionário, tinha opiniões que causavam estranheza entre os pares. Todo mundo falava que ele era louco, que não devia ser levado em conta, mas todas as previsões dele se realizaram. O professor Carlos Alberto Morais de Sá foi o primeiro a dizer que não haveria vacina para Aids e que o controle da doença poderia ser feito com medicamentos", afirmou Ferry.

Em nota, a Unirio afirmou que “ao longo de seus quase 50 anos dedicados ao HUGG, além de toda a excelência na transmissão de saberes e conhecimentos, Carlos Alberto Morais de Sá se eternizou através da formação de médicos que se guiam por sua constante necessidade de questionamento e aprofundamento dos estudos, e por seu senso de coragem, capaz de encontrar soluções onde a maioria só vê obstáculos”.

    Veja Também

      Mostrar mais