vacina
shutterstock
Paciente que teve possível reação à vacina é do Reino Unido


Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não existem casos no Brasil de reações adversas devido a aplicação da vacina de Oxford, da AstraZeneca.  Os testes foram paralisados na última terça-feira (8).


Anvisa diz que não há registro de reação adversa da vacina de Oxford no Brasil
Testes de fase 3 do imunizante, última etapa antes do pedido do aval de agências de saúde para aplicação na população, foram interrompidos na última terça-feira (8) devido a possíveis efeitos colaterais.

“No Brasil, não há relato de eventos adversos graves em voluntários. A Anvisa já está em contato com o laboratório AstraZeneca para o acesso à totalidade das informações e interlocução com outras autoridades de medicamentos no mundo”, afirmou a agência.

O Brasil é um dos países que participa da Fase 3 de testes da vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford - além de ter  parceria firmada com o Governo Federal para a produção de doses, caso seja aprovada.

O voluntário que teve reação adversa é do Reino Unido e, segundo o The New York Times, teve mielite transversa, uma reação inflamatória causada por vírus na maioria dos casos, afetando a medula espinhal.

A paralisação dos testes da vacina foi realizada por motivos de segurança. Agora, os pesquisadores avaliam se a doença foi mesmo causada pela dose ou se por outros motivos. Ainda não há previsão de retorno.

    Veja Também

      Mostrar mais