foto
Carolina Antunes/PR
Recentemente, o STF tomou uma série de decisões consideradas prejudiciais para a Lava-Jato


O presidente do Superior Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli , disse, nesta sexta-feira (04), que houve abusos na Lava-Jato . Ele ponderou que, apesar de decisões recentes do tribunal que enfraqueceram a operação, a Corte foi fundamental para que as investigações fossem adiante.


"Temos que ter consciência de que temos que trabalhar com instituições, e não com pessoas, nem com instituições paralelas. Como advogado-geral da União, e também na Casa Civil, eu participei de várias iniciativas de combate à corrupção: lei de transparência, lei de lavagem de dinheiro, lei da colaboração premiada. Não existiria Lava-Jato e combate à corrupção se não houvesse essas leis, e eu participei de todas elas. Quem deu poderes de investigação ao Ministério Público foi o STF. Não existiria Lava-Jato se não fossem essas leis, das quais todas eu tive participação na elaboração. O que não se pode ter é abuso, escolher quem você vai investigar , deixar investigação na gaveta para que, conforme a pessoa alce um cargo, ela seja vazada para a imprensa, um vazamento com interesses políticos, e não institucionais por trás", disse Toffoli em uma entrevista coletiva.

Recentemente, o STF tomou uma série de decisões consideradas prejudiciais para a Lava-Jato . Entre elas, derrubou a possibilidade de prisão de réus condenados em segunda instância e determinou que a Justiça Eleitoral investigasse casos de corrupções correlatos com a prática de caixa dois.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários