Dieynne Saugo
Reprodução Instagram
Médica picada por cobra durante banho em cachoeira tem 70% das vias aéreas comprometidas e continua na UTI

A médica Dieynne Saugo, picada por uma cobra jararaca durante um banho na Cachoeira Serra Azul, em Mato Grosso, no último domingo (30), passou pelo procedimento de traqueostomia (pequena abertura na traqueia), na tarde dessa terça-feira (1), para desobstruir as vias aéreas que estavam comprometidas em 70%.

A médica foi picada pelo animal no rosto e pescoço. Ela está internada em um uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Em entrevista ao G1, o médico responsável pelo caso, José Antônio de Figueiredo, relatou que as vias aéreas estão comprometidas por conta do inchaço nas regiões que foram picadas, que são atípicas.

"É como se tivesse uma reação alérgica. Não significa que o veneno cause alteração nesse sentido, mas causa o inchaço que, na região do pescoço, pode comprometer veias importantes. O caso dela é bem diferente devido ao local da picada. Na maioria das vezes, as picadas são no pé, tornozelo e perna, seguido de mão e braço", afirmou.


Entenda

A médica Dieynne Saugo estava conhecendo a região da cachoeira no último domingo (30). Quando ela estava em baixo da queda d'água, a cobra despencou junto com a correnteza a caiu em cima da médica. A cobra então a picou ao menos duas vezes no pescoço e no rosto.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi chamado e encontrou a família a caminho do hospital mais próximo. Ela foi encaminhada ao Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) para receber o soro e depois transferida para uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital particular da capital do estado.

    Veja Também

      Mostrar mais