Rio de Janeiro
Reprodução/Dino
Rio de Janeiro

Após queda, a taxa de transmissão (R0) do novo coronavírus (Sars-coV-2) no Brasil oscilou levemente para cima e voltou a 1, mostra relatório semanal do Imperial College London divulgado nesta segunda-feira (24). Isso significa que cada pessoa infectada transmite o vírus para outra pessoa. 

O dado indica uma leve flutuação em relação à semana passada, quando a taxa estava em 0,98. O patamar mais baixo, abaixo de 1 pela primeira vez desde abril, indicava desaceleração do contágio da Covid-19 no Brasil: cada grupo de 100 infectados transmitia o novo coronavírus para 98 pessoas, e assim sucessivamente.

Segundo o relatório, os dados levam em conta a mediana das estimativas de mortes na comparação das duas semanas. Pelas estatísticas, essa taxa pode ser ainda maior (até R0 = 1,12) ou menor (até R0 = 0,93). A atualização desta semana se refere a números totalizados no domingo (23).

Também simbolizado por Rt, o "ritmo de contágio" é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança.

O relatório do Imperial College London pondera que os números sobre o Brasil vêm passando por mudanças na maneira de divulgação e que, portanto, os resultados precisam ser interpretados com cautela.

Números do Brasil

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, o Brasil registrava mais de 115 mil mortes por Covid-19 até a noite desta terça-feira. O total de casos acumulados do novo coronavírus passava de 3,6 milhões.

Embora a média móvel de óbitos por coronavírus no país permaneça no formato de um platô, a pandemia sinaliza um tímido arrefecimento desde o início do mês. Nesta terça-feira, a  média móvel foi de 950 mortes, o menor índice desde 1º de junho.

    Veja Também

      Mostrar mais