df
Pablo Jacob/Agência O Globo
Escola Classe 06 do Cruzeiro, no Distrito Federal, passa por processo de desinfecção


O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decidiu, nesta quarta-feira (19), suspender o retorno das aulas em escolas públicas previsto para o dia 31 de agosto. Segundo o secretário de Educação, Leandro Cruz, a decisão foi tomada para "preservação da vida".


"Nós tomamos a decisão levando em conta a preservação da vida , a preservação dos profissionais de educação", disse o secretário de Educação, completando:"O ensino remoto hoje é uma realidade que tem dado certo."

A medida foi tomada por precaução devido ao aumento de casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com os últimos dados, 2.133 pessoas morreram no DF e foram confirmados 140.593 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. De acordo com o secretário, a data de 31 de agosto era a apenas uma "previsão" para o retorno.

Na  rede privada as aulas também estão suspensas desde março, por conta da pandemia. O governo do DF chegou a permitir o retorno das atividades no final de julho, mas, desde então, decisões judiciais têm impedido a reabertura. Uma decisão final ainda será tomada pelos desembargadores da 2ª Sessão Especializada do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região. 

De acordo com decreto já editado pelo governo do DF, para o retorno às aulas as instituições devem manter o distanciamento de 1,5 metro entre as carteiras, proibir o uso de bebedouros, aferir da temperatura e ofertar álcool em gel para reduzir o risco de contágios. Também devem ser estabelecidas escalas de revezamento entre os profissionais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários