Macaé
Divulgação
Moradores em fila para testagem: 20 mil passaram por exame para o novo coronavírus

Testagem em massa, barreiras sanitárias e fiscalização eficiente. Com essas medidas, Macaé se tornou a primeira cidade do estado do Rio a atingir bandeira verde na luta contra o coronavírus . O município está com 0,93 de taxa de reprodução do vírus, índice de baixo risco de contágio.

Com um médico neurocirurgião à frente da prefeitura, Macaé registrou até agora 6.282 casos de Covid-19 e 121 óbitos pela doença desde o início da pandemia. Segundo o prefeito, Dr. Aluizio (PSDB), só 25% dos leitos da cidade estão ocupados. A letalidade está abaixo de 2%.

"Chegar à faixa verde representa um momento em que a pandemia teoricamente não está em ascensão. Alcançamos esses indicadores, que são técnicos, claros e objetivos, depois de muitas restrições, sofrimentos e mortes", diz o prefeito, para quem o momento não é de relaxar.

"O cenário de vigilância será mantido de forma intensa, com fiscalização em todos os estabelecimentos, para que possamos nos manter na faixa verde, atendendo à expectativa e à necessidade da sociedade", concluiu ele.

Um dos segredos para o bom resultado, afirma ele, foi, além da testagem de 10% dos moradores, não ter pressa para retomar as atividades. A cidade ainda está, por exemplo, com shoppings e academias fechados. Bares e restaurante também não foram autorizados ainda a abrir as portas.

A ideia é, antes de autorizar a volta das atividades, testar os funcionários dos estabelecimentos. Isso já foi feito em fases anteriores da flexibilização. A discussão para a retomada de bares, restaurantes e academias voltou a movimentar a cidade depois que ela alcançou a bandeira verde. O prefeito, no entanto, não está disposto a ceder a pressões.

"Não estamos livres da Covid e temos que tomar todos os cuidados para não voltarmos à faixa amarela. Não sucumbimos ao desejo do retorno com urgência de alguns setores. Preferimos dar passos pequenos, mas firmes. A economia não atende aos mortos e sim, aos vivos. Só iremos nos recuperar se a doença estiver controlada", disse.

Para a reabertura de bares e restaurantes, por exemplo, a Prefeitura de Macaé estuda limitar o atendimento a clientes sentados nas mesas, de quatro lugares cada uma, sendo proibida a venda para pessoas nas calçadas ou em pé. A medida visa evitar as cenas de aglomeração vistas em bares da capital. A cidade também manterá barreiras sanitárias, permitindo apenas a entrada de moradores e trabalhadores no município.

"Seguimos tudo o que as autoridades sanitárias e a Organização Mundial de Saúde recomendaram. Não foi a prefeitura que se sacrificou e sim, a população. Este é o momento mais importante, porque, depois de chegar (à bandeira verde), retroceder seria frustrante", diz o prefeito.

Uma das medidas adotadas pelo município foi a testagem em massa da população. Foram mais de 20 mil testes — quase 10% dos macaenses — realizados em diferentes bairros. Também foram testados profissionais de atividades liberadas.

"Adotamos um conjunto de medidas, e todas elas, das barreiras sanitárias ao distanciamento social , refletem neste resultado que alcançamos hoje, tendo, acima de tudo, muito empenho de todos, dos profissionais envolvidos e de toda a população. Difícil não foi chegar, mas sim, permanecer", disse.

Nesta quarta-feira (12), a prefeitura deverá divulgar decretos de flexibilização para cada atividade. Bares, restaurantes, academias, shoppings e templos religiosos serão as próximas a serem retomadas. O protocolo a ser seguido por cada setor passa a valer na quinta-feira. Não há previsão para retomada das atividades de ensino presencial.

A Secretaria estadual de Saúde informou que a Secretaria Extraordinária da Covid-19 faz análise regional de indicadores, e não por municípios. A classificação da faixa verde foi divulgada pela Prefeitura de Macaé.

    Veja Também

      Mostrar mais