Sophie Wilmès, primeira-ministra da Bélgica
Redes sociais
Sophie Wilmès, primeira-ministra da Bélgica

Uma criança de apenas três anos foi vítima do novo coronavírus (Sars-Cov-2) na Bélgica , a vítima da pandemia mais jovem a morrer no país. Segundo as autoridades, a menina sofria de outras patologias.

"Esta notícia nos emociona profundamente, como cientistas e como pais", disse Boudewijn Catry, porta-voz das autoridades de saúde da Bélgica.

Antes, a vítima mais jovem do país era um garoto de 12 anos, falecido em março. A Bélgica tem registrado alta de casos nas últimas semanas.

"Em média, três pessoas morrem por dia. Recentemente, uma pessoa de 18 anos", acrescentou Catry, em entrevista coletiva, reconhecendo que as mortes entre jovens continuam sendo uma ocorrência "rara".

Entre 14 e 20 de julho, o país registrou aumento de 89% em infecções, se comparado à semana anterior. Em média, a Bélgica tem 220 novos casos todos os dias. Ontem, diante desse aumento de casos, a primeira-ministra Sophie Wilmès anunciou um aumento nas medidas de proteção.

Agora, a máscara passa a ser obrigatória "em todos os lugares com aglomerações", sejam espaços abertos ou fechados, como mercados, ruas com lojas, hotéis, cafés, ou restaurantes.

Em termos proporcionais, a Bélgica é um dos países com o maior número de mortes por covid-19: 85 óbitos a cada 100 mil habitantes — nesse balanço, as autoridades incluem as mortes suspeitas, ainda que não tenham sido comprovadas por teste diagnóstico.

    Veja Também

      Mostrar mais