Eduardo Suplicy
Esdras Martins/Ofotográfico/Agência O Globo
Suplicy listou ações de auxílio à pessoas em vulnerabilidade social durante a pandemia.

O vereador Eduardo Suplicy divulgou em suas redes sociais uma réplica à resposta da primeira-dama de São Paulo, Bia Doria , sobre o convite feito por ele para que ela participasse de uma audiência pública. O convite foi feito depois que a esposa do governador João Doria disse, em vídeo, que “não é correto chegar na pessoa que está na rua e dar marmita”.

Após receber o convite do vereador, Bia Doria respondeu dizendo que está doando todas as “energias para este trabalho e questionou Suplicy. “E o senhor que tem salário, o que o senhor tem doado para essas pessoas? Quantas pessoas tirou da rua e deu dignidade? Quantas pessoas o senhor encaminhou para um trabalho digno? Quantas casas o senhor conseguiu para essas pessoas?”.

Em réplica, o vereador disse que a resposta enviada a ela foi “escrita em termos respeitosos”  e listou medidas que ele tomou para ajudar “pessoas em situação de carência” durante a pandemia de Covid-19.

“A senhora me pergunta se faço alguma doação. Esteja informado que nesta pandemia do coronavirus, com o meu voto, nós vereadores estamos doando parcela de nossos salários para os programas de combate á Covid-19 e para assistência à população pela PMSP. No meu caso, minha contribuição é de 45% de meu salário. A senhora me pergunta quantas pessoas tenho ajudado. Convido-a para visitar o meu gabinete onde, em tempos normais da CMSP, é visitado diariamente por dezenas de paulistanos, muitos em situação de carência, em busca de soluções. Todos são ouvidos com atenção e, na medida do possível, encaminhados para a resolução de seus problemas. Costumo escrever cartas de apresentação sobre a história da pessoa a quem possa interessar, pois tenho por norma não solicitar emprego para o setor público ou privado. Eu gostaria de lhe apresentar a Senhora Janaína Xavier, que está grávida de oito meses de seu nona criança, tendo ela mais 4 adotados, e que está para ser despejada de uma ocupação na Avenida Rio Branco. Estou fazendo um apelo ao proprietário do imóvel, onde estão cerca de 20 famílias, para que dê um prazo de pelo menos um mês para que ela encontre uma solução de moradia”, respondeu o vereador.

No final da resposta, Suplicy reforçou o convite para que Bia Doria participe da conversa e proponha ações para abrigar pessoas em situação vulnerável durante a pandemia e o inverno, citando o uso da estrutura do hospital de campanha do Pacaembu, desativado nessa semana.

Confira a resposta de Suplicy na íntegra:


    Veja Também

      Mostrar mais