Arcebispo defende que missas onlines sejam mantidas para que pessoas doentes possam acompanhar
Reprodução
Arcebispo defende que missas onlines sejam mantidas para que pessoas doentes possam acompanhar


No mesmo dia em que divulgou calendário de volta às aulas presenciais , Prefeitura de São Paulo permitiu que Igrejas Católicas e Ortodoxas voltem a realizar missas presenciais na próxima segunda-feira (29). As igrejas, no entanto, precisam seguir protocolo de prevenção à Covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus , que foi elaborado pela Arquidiocese de São Paulo.



Entre as normas, igrejas são orientadas a evitar que fiéis criem aglomerações e que mantenham distanciamento físico de até um metro e meio. Por esse motivo, organizadores precisam ficar atentos ao número de pessoas presentes para que essa distância seja cumprida.

Você viu?

Álcool em gel precisa ser oferecido na entrada e na saída das pessoas. As igrejas precisam distribuir visivelmente cartazes que divulguem todas as medidas que devem ser seguidas dentro do ambiente.

Os locais precisarão criar sistemas de checagem de temperatura tanto de quem contribui com a igreja como de fiéis. Não devem entrar no local pessoas que estejam medindo 37,5 ºC ou temperatura elevada a este valor.

O horário de funcionamento deve ser condizente com com o permitido pelo Plano de Reabertura de São Paulo. Pessoas que são do grupo de risco devem evitar comparecer às missas que tenham muitas pessoas. A Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) sugere que o melhor seja ir em cultos que aconteçam no meio da semana, por ter menor quantidade de fiéis.

A CNBB alerta também que pessoas que estão doentes ou que apresentem sintomas da Covid-19 não devem comparecer às missas e precisam ficar em casa. Por esse motivo, o arcebispo da cidade, Dom Odilo Pedro Scherer, defende que igrejas exibam suas missas virtualmente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários