pandemia
Ananda Migliano/Ofotografico/Agencia O Globo
Números divulgados pelo G1 mostram mais de 900 mortes em 24 horas

Segundo levantamento do G1, junto às secretarias estaduais de saúde, o número de casos confirmados de coronavírus (Covid-19) nas últimas 24 horas é de 35.919 no total.

Leia também 


Já o número de mortes nas últimas 24 horas foi de 965.

O número total de infectados saltou para 671.464 casos no total.

No boletim divulgado ontem pelo governo federal, o número total era de 645.771 mil casos  e o número de mortes nas últimas 24 horas havia sido de 1005 óbitos.

Reações às restrições dos números da Covid-19

Após o anúncio do governo federal de limitar o acesso aos dados referentes à Covid-19, vários setores reagiram de forma negativa, como foi o caso da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e da ABI (Assossiação Brasileira de Imprensa).

Para o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, as ações tomadas pelo governo Bolsonaro é um "letal vexame". Por meio do Twitter, Santa Cruz se posicionou. 

"O Ministério da Saúde não adverte mais. Acéfalo e militarizado, presta-se ao papel de empoeirar e retardar informações sérias sobre a pandemia, apenas para satisfazer o apetite conspiratório do presidente e sua batalha pessoal contra a imprensa livre. Um perigoso e letal vexame", disse.

A ABI também se posicionou, por meio de nota, e disse que as atitudes tomadas foram irresponsáveis. 

"A transparência de informações é instrumento poderoso no processo de combate à epidemia e um direito básico do cidadão garantido pela Constituição. A ABI repudia mais um ato irresponsável e criminoso do presidente da República e exige, em defesa da vida, a divulgação das estatísticas oficiais em tempo hábil, e com sentido de urgência".

    Veja Também

      Mostrar mais