Cemitério da Vila Formosa
Reprodução/Washington Post
Cemitério da Vila Formosa está fazendo cinco enterros a cada meia hora

A cidade de São Paulo enterrou 4.000 pessoas em maio deste ano a mais do que no mesmo mês de 2019. No total foram 9.800 sepultamentos, que ocorreram em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). O levantamento foi divulgado pelo jornal Hoje da rede Globo.

Leia mais:
Empresário cotado para cargo no governo diz que números da Covid são manipulados
Sem máscara, Bolsonaro chega ao Comando de Artilharia do Exército
Em meio a atrasos com dados, site do Ministério da Saúde fica fora do ar

 Maio também foi o mês com mais mortes por Covid-19 , mais de 2.500, desde o primeiro caso da doença confirmada na cidade, em fevereiro. A cidade já registrou até o momento até o momento 4.805 mortes. Em março deste ano, o número de sepultamentos também cresceu, mas menos, 51% de alta na comparação com março de 2019. 

O maior cemitério da América Latina, o da Vila Formosa mudou sua logística nos sepultamentos. Agora, são cinco enterros em 30 minutos. Os familiares esperam do lado de fora até o momento do enterro, e não têm direito a velório. Eles podem, apenas, segurar o caixão por poucos passos e observar por poucos minutos.

Termômetro da pandemia

“Do ponto de vista de saúde pública , os três dados mais importantes são números de casos confirmados, as internações e depois os óbitos que evidentemente se consolidam com sepultamentos”, afirmou à emissora do TV, o secretário municipal de Sáude de São Paulo, Edson Aparecido.

Segundo ele, o número de enterros é um "termômetro preciso" de como a doença está evoluindo na capital paulista.


    Veja Também

      Mostrar mais