rio de janeiro máscara quarentena
PM/Divulgação
Sair nas ruas de máscara se tornou obrigatório no Rio de Janeiro

O governador do Rio, Wilson Witzel, decidiu prorrogar até a próxima sexta-feira (5), as medidas de isolamento social que vêm sendo adotadas desde o dia 16 de março durante a pandemia da Covid-19. As restrições inclluem a manutenção de limitações para o uso do transporte público intermunicipal (trens, ônibus e barcas) por profissionais de atividades consideradas essesnciais, como profissionais de saúde e das forças de segurança pública.

Leia também: Sara Winter é expulsa do democratas e Frota comemora: "Lixinho do mal"

Pontos turísticos também devem permanecer fechados, bem como escolas, shoppings e academias e suspensas autorizações para shows . O decreto com as restrições foi publicado nesta terça-feira e é praticamente idêntico ao decreto original de março, que tem sofrido prorrogações.

O estado informou que nos próximos dias vai avaliar a incidência do novo coronavírus para determinar cronogramas de reabertura. Na semana passada, havia a expectativa que as medidas de relaxamento começariam no dia 8, o que ainda não foi confirmado.

A prorrogação do decreto não deve interferir nas medidas de relaxamento que a prefeitura do Rio começa a adotar a partir desta terça-feira, que incluem a liberação de caminhadas no calçadão e em parques públicos, além de atividades esportivas no mar, e autoriza a reabertura de agências de automóveis e de lojas de móveis e decoração. As medidas de flexibilização foram anunciadas pelo prefeito Marcelo Crivella, na segunda-feira. No entanto, ainda não são oficiais. A edição do decreto com as regras atrasou. Segundo a assessoria de Crivella, uma edição extra do Diário Oficial será publicada ainda nesta terça-feira.

Reabertura gradual na capital

O prefeito Marcelo Crivella deu início ao plano de reabertura gradual na capital dividindo as mudanças em seis fases e, na primeira delas, liberou com restrições algumas atividades na orla, como andar no calçadão, e fazer atividades esportivas individuais no mar, como natação ou surfe (ainda está vetado permanecer na areia, mesmo para exercícios, ou dar um mergulho). No comércio e no turismo, podem voltar às atividades lojas de móveis, agências de automóveis e hotéis.

A previsão é que cada uma das seis fases dure 15 dias, fazendo com que o plano só deva ser concluído em agosto. A prefeitura salientou, porém, que as medidas poderão ser adiantadas ou adiadas, de acordo com a capacidade da rede hospitalar de absorver casos de Covid-19 . Por isso, o monitoramento do número de infectados, de óbitos e de leitos disponíveis será diário.

Se o cronograma inicial for mantido, as aulas começarão a ser retomadas, gradativamente, a partir de julho. No primeiro momento, serão liberadas as turmas do quinto ao nono ano, com rodízio de alunos. Estudantes do ensino médio e de universidades só deverão voltar às atividades na sexta fase, em meados de agosto, caso não haja mudanças.

Leia também: Eduardo Bolsonaro fala sobre bolsonaristas na eleição da presidência da Câmara

Os shoppings centers poderão reabrir as portas na segunda fase, daqui a duas semanas, mas com horário restrito, das 12h às 20h, e com apenas um terço da capacidade de estacionamento. Neste período, as praças de alimentação só poderão funcionar para delivery. O comércio só voltará totalmente a partir da quinta etapa. Bares e restaurantes, por sua vez, só poderão receber clientes na fase três, com metade da capacidade.

    Veja Também

      Mostrar mais