Começa a valera nesta segunda-feira (01), o decreto da gestão Bruno Covas (PSDB) que autoriza a retomada dos agendamentos para consultas médicas na rede pública de saúde do município. Cirurgias eletivas de maior complexidade —realizadas em centros cirúrgicos— continuam suspensas.

Leia também: Mortes por Covid-19 em São Paulo chegam a 5.773

Prefeito de São Paulo Bruno Covas
Agência Brasil/Rovena Rosa
Prefeito de São Paulo Bruno Covas

As consultas, exames, procedimentos e cirurgias de rotina na rede municipal de saúde estavam suspensas na capital desde de março em razão da pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2), causador da Covid-19 . Apenas alguns tipos de atendimentos - incluindo os de urgência e emergência - estavam mantidos.

Leia também: Pesquisadora alerta que Covid-19 é apenas "ponta do iceberg"

"Estamos hoje com o sistema bastante controlado e em condições de voltar à vida normal no atendimento à população. Isso passa a ser feito a partir da próxima semana", disse o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, em entrevista coletiva.

De acordo com o novo decreto, a partir desta segunda (01) estão abertas todas as agendas para as seguintes especialidades médicas:

  • Endocrinologia
  • Cardiologia
  • Psiquiatria
  • Hematologia
  • Nefrologia
  • Neurologia
  • Geriatria
  • Pré-Natal de Alto Risco
  • Pneumologia
  • Infectologista
  • Mastologista
  • Dermatologia
  • Gastroenterologia
  • Hematologia
  • Homeopatia
  • Oftalmologia
  • Otorrinolaringologia
  • Reumatologia
  • Ortopedia.

Todavia, a prioridade na remarcação de consultas será para os casos de retorno. "As consultas de primeira vez devem ser disponibilizadas de acordo com a avaliação do gestor local, considerando a suspensão das cirurgias eletivas em centro cirúrgico no momento de pandemia", diz o decreto.

Leia também: Mortes por Covid-19 no Brasil passam de 20 mil; casos confirmados são 310 mil

Também foi autorizada a retomada na marcação de exames como ultrassonografia, ecocardiograma, mamografia, densitometria óssea, eletrocardiograma e eletroencefalograma. A orientação é para que os exames sejam marcados com 40 minutos de intervalo ou conforme indicação do gestor local para evitar a propagação da Covid-19 .

    Veja Também

      Mostrar mais