João Gabbardo em coletiva de imprensa do governo de São Paulo
Reprodução
João Gabbardo em coletiva de imprensa do governo de São Paulo

No mesmo dia do anúncio oficial no cargo de secretário-executivo de Saúde do Centro de contingenciamento do Covid-19 em São Paulo, o médico João Gabbardo - ex-secretário executivo do Ministério da Saúde - comentou as principais diferenças entre o panorama estadual e nacional no enfrentamento à pandemia.

Desde o início da pandemia nós sabíamos que, não havendo vacina nem tratamento, deveríamos nos preparar para isso. Enquanto isso, nós investimos em medidas drásticas de isolamento ", contextualizou o secretário em resposta à repórter do iG , Maria Eduarda Esteves. "O que ocorreu é que, em alguns locais, isso não foi possível. Isso ocorreu predominantemente na região Norte do país, onde a epidemia chegou antes do preparo", afirmou Gabbardo.

Leia mais: Flexibilização do isolamento em SP: veja quais serviços devem reabrir primeiro

Para Gabbardo, o que difere o estado de São Paulo de outras regiões do Brasil é, principalmente, o suporte que o estado possui na área de saúde. "os óbitos em São Paulo ocorreram por uma evolução natural da doença, não foi porque não tinha leitos de UTI , não foi porque não tinha enfermarias para oferecer o atendimento", explica.

O contraste entre os estados, de acordo com o novo secretário-executivo, devem ser considerados em decisões para o efrentamento da doença. "Belém e Manaus, por exemplo, já tinham uma deficiencia considerável na capacidade de dar o atendimento que era necessário. Nesses locais houve óbitos por falta de assistência , o que não ocorreu em São Paulo", diz.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários