Ao menos 6,8 milhões da população brasileira já vive em municípios sob regime de lockdown devido à pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2), causador da Covid-19 .

Leia também: Covid-19: compra de respiradores gera prisões e queda de Secretários da Saúde

Na favela do Acari%2C bandidos estão punindo quem não respeita a quarentena
Reprodução/ YouTube
Na favela do Acari, bandidos estão punindo quem não respeita a quarentena

Atualmente, a medida - considerada a última para conter a Covid-19 - está em vigor em três capitais, são elas São Luís, Belém e Fortaleza, mas também é estudada ou adotada parcialmente por outros 13 Estados, incluindo Rio e São Paulo.

Leia também: Cientistas da Itália afirmam ter desenvolvido 1ª vacina contra Covid-19

Com modelo mais rígido de isolamento, no lockdown as pessoas só podem sair de casa para comprar alimento, remédio ou ir ao médico. Quem furar o isolamento está passível de multa ou até de responder a ações penais.

Com os sistemas de saúde já sobrecarregados, Pernambuco e Amazonas chegaram a pedir o fechamento, mas a medida foi negada pela Justiça.

Longe dali, os governos de São Paulo e Espírito Santo admitem a possibilidade de restringir mais o isolamento social. No Paraná, o 10º no ranking de vítimas por coronavírus, o prefeito de Curitiba afastou a hipótese até o momento. 

Em Fortaleza, o "confinamento obrigatório" passa a valer hoje imposto por decretos publicados pelo prefeito e pelo governador. No Pará, o bloqueio total começou a valer ontem. A decisão inclui Belém, além de municípios da região metropolitana e do interior.

Apesar de muitas já estarem adotando, o primeiro decreto de lockdown ocorreu no Maranhão - após decisão da Justiça, que foi acatada pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Sob argumento de ocupação total de leitos, São Luís e as cidades vizinhas São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar foram fechadas.

Leia também: Covid-19: Prefeitura de Niterói multará quem furar quarentena sem motivo

Enuanto isso, no Rio, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) anunciou "lockdown parcial" a partir da zona oeste, região onde há mais aglomerações. A medida foi tomada após o Ministério Público encaminhar relatório da Fiocruz defendendo a adoção urgente de medidas rígidas de isolamento. Em contraste, o governador Wilson Witzel (PSC) vem sendo pressionado a adotar o bloqueio total no Estado. Ele acredita, porém, que cabe a cada município impor medidas restritivas contra a Covid-19

    Veja Também

      Mostrar mais