carro para em frente a hospital com faixa vermelha de EMERGÊNCIA ao fundo
Hermes de Paula / Agência O Globo
Pacientes com Covid-19 chegaram a entrar em fila de encaminhamento a leitos


Nesta segunda-feira, 4, o estado do Rio de Janeiro chegou aos 98% de leitos de UTIs ocupados por conta do avanço da Covid-19 , transmitida pelo novo coronavírus . Além dos infectados pela doença, hospitais seguem recebendo pacientes com outras complicações de saúde que necessitam de atendimento.

Leia também: Covid-19: Brasil tem 7 mil mortes e casos passam de 100 mil

Enquanto isso, instalações hospitalares da rede federal do Rio têm 850 leitos de UTI livres. No Hospital de Bonsucesso, considerado referência durante a pandemia , apenas 35 dos 240 leitos estão ocupados. No entanto, os que estão desocupados não podem ser disponibilizados por falta de profissionais de saúde.

As unidades municipais na capital estão completamente cheias e há pacientes em uma fila aguardando que leitos de UTI sejam disponibilizados. Desses, 399 estão apresentam sintomas ou estão infectados pela Covid-19.

O estado prevê a chegada de novos leitos para hospitais de campanha ou os considerados referência no tratamento da doença. Em Duque de Caxias, o Hospital Municipal São José receberá 128 novos leitos. Esta semana, o Hospital de Campanha do Maracanã deve abrir e suavizar o sistema de saúde com 80 novos leitos.

Leia também: Quem vive e quem morre no Rio: protocolo definirá uso de leitos e respiradores

Na Zona Sul da capital, o  Hospital de Campanha Leblon deve receber 50 novos leitos, totalizando 100. Mas até hoje, espera-se que 80 sejam ocupados até o fim do dia de hoje.

Na rede municipal, o Hospital Ronaldo Gazolla está no aguardo de 370 leitos, que chegaram a ser solicitados no mês de março, mas não foram instalados “devido ao atraso na chegada de respiradores”.

    Veja Também

      Mostrar mais