caixão
Reprodução
Enterros passam a receber seis membros da família no Rio


A Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Conservação da prefeitura do Rio de Janeiro declarou hoje, 29, que será estabelecido um limite de seis membros da família em enterros de pessoas falecidas. A resolução foi assinada pelo secretário Sebastião Bruno e foi publicada em edição do Diário Oficial do Município.

A medida foi adotada por conta da pandemia do novo coronavírus e prevê que “atos de despedidas deverão ser evitados sempre que possível”. O artigo 6º do documento também veta aglomerações durante enterros. Segundo a secretaria, os caixões devem ficar fechados e os corpos não podem ser tocados.

Ainda segundo a decisão da secretaria, os cemitérios devem reservar um espaço aberto e isolado para que os caixões sejam recebidos, higienizados e disponibilizados. Pessoas falecidas pela Covid-19 ou por infecções contagiosas devem ser cremadas.

Aos familiares, álcool em gel 70% precisa estar à disposição no espaço e quem comparecer ao enterro deve ser orientado quanto aos cuidados de higiene das mãos. O distanciamento social precisa ser adotado, portanto é vital que os presentes no enterro não troquem contato físico. Infectados pelo novo coronavírus não devem comparecer.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários