Prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella
Agência Brasil
Prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella

Diante da falta de equipamentos para abrir mais leitos, o prefeito não descarta prorrogar a quarentena na cidade. O prazo para escolas e parte do comércio do Rio permanecerem fechados vence na quinta-feira (30). Ele, no entanto, preferiu não adiantar se isso de fato acontecerá.

Leia mais: No Brasil, ansiedade e depressão duplicaram em um mês de quarentena

Em vídeo divulgado ontem, Crivella voltou a pedir que o carioca permaneça em casa. Ressaltou que o uso de máscaras não é passaporte para sair à rua.

"Evitem a todo custo a aglomeração. A máscara não é um passaporte para a gente sair. Estamos num momento delicado, porque crescem os números de infectados, de internações de UTI e óbitos. É muito importante que as pessoas fiquem em casa. Aquele decreto da máscara é para a proteção das pessoas que têm que sair por necessidade especial ou porque estão trabalhando em atividades essenciais da nossa economia", reiterou.

A orientação é parecida com a do infectologista Alberto Chebabo. Ele afirma que a máscara é apenas uma medida auxiliar, quando o distanciamento social continua sendo a precaução mais eficaz.

Leia também: Morador de rua é vítima de guerra entre facções do tráfico no Rio de Janeiro

"As pessoas acham que, com a máscara, já podem ir ao mercado tranquilamente, passear... Não é assim. Elas devem ser usadas por quem precisa fazer uma atividade essencial na rua. As de tecido e sem filtro, por exemplo, protegem por no máximo alguns minutos. Têm um nível de proteção baixo, que diminui ainda mais conforme são lavadas, porque o pano esgarça", afirma o médico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários