vitima covid-
Reprodução / Facebook
Jorge era morador da Rocinha e morreu com sintomas do novo coronavírus

"Perdi 11 pessoas que eu conheço depois que esse vírus maldito surgiu". O desabafo é de William de Oliveira, líder comunitário da Rocinha, na Zona Sul do Rio. Uma dessas pessoas a que ele se refere é Jorge Machado, morador da favela morto nesta quinta-feira no Hospital municipal Ronaldo Gazzola, em Acari, na Zona Norte, com sintomas de coronavírus. Amigo de Jorginho, como era conhecido, há mais de 20 anos, William o descreveu como um homem ativo e que cuidava da saúde:

Leia também: Prefeito diz que mulheres "aumentam disseminação do Covid-19" e é criticado por sexismo; saiba mais

"Ele malhava, era preocupado. Quase não acreditei quando ele me mandou uma mensagem, no dia dez de abril, dizendo estar com muita dor no corpo, falta de ar e febre. Ele achava que era uma virose. Falei para ele procurar logo a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Ele foi, passaram remédios, mas ele não melhorou. Estávamos tentando um jeito de ele fazer um teste. Só que nesse tempo o quadro se agravou".

Jorge - que era diretor de obras da Associação de Moradores e chegou a participar da distribuição de 500 quentinhas na Rocinha após o surgimento da pandemia da Covid-19 - foi novamente para a UPA no dia 14 e, de acordo com William, foi colocado num respirador. No dia seguinte, com o quadro mais grave, foi transferido para o Ronaldo Gazolla.

"Aí ficou difícil ter notícias dele, já que temos que esperar um contato do hospital. E ontem recebi a notícia da morte. Foi um baque. Muito doloroso. E nessa situação nem no enterro podemos ir para nos despedirmos. Olha, é tudo muito triste. Perdi 11 pessoas que eu conheço depois que esse vírus maldito surgiu".

Preocupação com a comunidade

A Rocinha tinha, até esta quinta-feira, 54 casos do novo coronavírus . Mas o temor é que esse número aumente muito. Por isso, ao publicar a notícia da morte de Jorge, o perfil da Associação dos Moradores voltou a fazer um apelo para que as pessoas não saiam de suas residências:

Leia: Membro do roubo de ouro no aeroporto de Guarulhos irá cumprir prisão domiciliar

"É com uma grande dor no peito e sufocante tristeza no coração que a Associação de Moradores deseja toda força aos familiares e amigos de Jorge Machado, nosso querido e eterno Jorginho. Não brinquem com essa pandemia nem arrisquem suas vidas, estamos enfrentando um momento terrível. FIQUEM EM SUAS CASAS, MORADORES!".

Filha e sobrinha agradecem carinho nas redes sociais

Nas redes sociais, a notícia da morte de Jorge emocionou muita gente. Amigos deixaram despedidas para ele. Uma sobrinha escreveu:

"Tio Jorge, você era maravilhoso. Meus pêsames à família. Sei que Deus vai te receber de braços abertos, sempre me dava uns conselhos bons. Obrigada meu eterno tio".

Leia também: Juízes do Rio de Janeiro são alvo de operação do Ministério Público

A filha de Jorginho agradeceu as mensagens: "Gente, obrigada pelo carinho que vocês tiveram com meu pai". Uma sobrinha dele também comentou: "Família Machado agradece o carinho e o respeito de vocês para com meu tio... obrigada".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários