Vala com caixões em Manaus arrow-options
Reprodução
Estado é um dos que preocupam pela grande quantidade de mortos

A Prefeitura de Manaus começou a fazer valas comuns em seus cemitérios para conseguir dar conta de enterrar os mortos pela Covid-19 na cidade. Em um comunidade desta terça-feira (21), o governo do município confirmou que estão sendo abertas o que ele chamou de trincheiras do cemitério público Nossa Senhora Aparecida, que fica no bairro Tarumã.

Leia também: Covid-19: Mortes no Brasil chegam a 2,7 mil; casos confirmados são 43 mil

O estado do Amazonas é um dos mais preocupam autoridades sanitárias por conta do grande números e de casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Segundo dados do Ministério da Saúde desta terça, o estado está em quarto lugar no número de mortes e casos confirmados em todo o Brasil, com 193 óbitos e 2.270 infecções até agora. A taxa de letalidade é de 8,5%.

Segundo informações da prefeitura de Manaus, desde março, houve acréscimo de aproximadamente 50% na demanda de sepultamentos. Cartórios da capital também estenderam o regime de plantão para atender alta demanda de registros de óbito.

"A metodologia, já utilizada em outros países, preserva a identidade dos corpos e os laços familiares, com o distanciamento entre os caixões e com a identificação das sepulturas. A medida foi necessária para atender a demanda de sepultamentos na capital", disse a nota prefeitura ao explicar a adoção das trincheiras.

Leia também: Brasil é o segundo país com mais pacientes graves da Covid-19 no mundo

Nesta segunda-feira (20), a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) teve que instalar contêiners frigoríficos no cemitério para comportar caixões que aguardavam sepultamento.

    Veja Também

      Mostrar mais