Ministro da educação arrow-options
Marcos Corrêa/PR
Ministro da Educação Abraham Weintraub

BRASÍLIA- Secretários estaduais de educação de todo o país divulgaram, nesta segunda-feira, uma nota afirmando que o Ministério da Educação (MEC) não tem apoiado os estados para garantir a aprendizagem dos estudantes durante a pandemia.

O comunicado emitido pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed) é uma resposta a declarações feitas pelo ministro da educação, Abraham Weintraub , no Twitter. Em uma publicação sobre o cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), Weintraub afirmou que "o ano não está perdido" e criticou governadores.

"Considerando as orientações de especialistas e autoridades em saúde , e emdefesa da vida e da saúde de todos, inclusive dos estudantes e profissionais deeducação, o CONSED defende as ações de isolamento social e trabalha para encontrarsoluções que permitam a aprendizagem dos alunos, com ações como oferecimento deensino remoto e um planejamento do retorno às aulas presenciais que possa mitigar asperdas e para garantir a aprendizagem de nossos estudantes. Para isso, os estadosnão têm recebido o apoio do MEC", diz a nota.

Leia mais: São Paulo chega a 1.037 mortes por Covid-19

No Twitter, no último domingo, ao defender a manutenção das datas do Enem, Weintraub disse que os governadores "devem tirar as nádesgas da cadeira e rebolar" para resolver o problema dos estudantes.

"#VaiTerEnem Governadores fizeram uma quarentena generalizada e precipitada. A população está no limite. Alunos sem aula ficam preocupados com o Enem. O ANO NÃO ESTÁ PERDIDO! Governadores devem planejar o retorno das aulas, tirar as nádegas da cadeira e REBOLAR atrás do prejuízo!", escreveu o ministro incluindo ainda um vídeo do governador de São Paulo, João Dória (PSDB).

A resposta do Consed defende ainda que a data das provas do Enem sejam adiadas para que não haja prejuízo , sobretudo, para os alunos mais pobres. O GLOBO mostrou que, contrariando posição da equipe do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)- responsável pelo Enem-, o ministro Abraham Weintraub decidiu manter o cronograma da prova mesmo com a suspensão de aulas em todo país.

O Enem impresso está marcado para os dias 1 e 8 de novembro e o Enem digital será adiado para os dias 21 e 29 do mesmo mês (inicialmente, essa versão do exame seria feita nos dias 11 e 18 de outubro).

"O Consed reitera suaposição pela necessidade do ajuste no cronograma, em benefício de nossos estudantes,especialmente os mais carentes das redes públicas, que estão sem as aulas presenciaisneste período e com dificuldades quanto ao pedido de isenção e para inscrição para oexame", diz a nota.

Uma decisão da 12ª Vara Cível Federal de São Paulo decidiu na última sexta-feira que o calendário do Enem seja adequado à realidade do atual ano letivo, que teve suspensão de aulas em todas as redes do país devido à disseminação do coronavírus.

    Veja Também

      Mostrar mais