polícia militar covid-19
Jovem Pan/ Divulgação
Polícia Militar do Rio de Janeiro tem efetivo infectado por Covid-19

A Polícia Militar do Rio tem mais um caso suspeito de morte por Covid-19. O sargento Robson Santana Nascimento, de 40 anos, estava internado no Hospital Central da corporação, no Estácio, na Zona Norte da capital, desde o dia 13 deste mês e morreu neste domingo "por insuficiência respiratória e pneumonia viral", segundo nota da assessoria de imprensa da PM. Ao todo, a Polícia Militar tem 34 agentes com coronavírus e uma morte confirmada por causa da doença.

Leia mais: Bolsonaro defende Congresso e STF abertos e diz que não atacou outros Poderes

O sargento Robson era lotado no 24º BPM (Queimados) e estava na corporação havia 18 anos. Ele era casado e tinha um filho. O sepultamento ocorrerá nesta segunda-feira, às 15h, no Cemitério Jardim da Saudade, na Zona Oeste do Rio. Em nota, a PM lamentou a morte do agente.

Um levantamento feito pelo EXTRA junto a comandantes de batalhões no fim de março deste ano mostrou que pelo menos 300 policiais militares estavam afastados das ruas por suspeita de Covid-19 . Essa quantidade equivale ao efetivo de um batalhão de pequeno porte, como o 17º BPM (Ilha do Governador). Até então, o HCPM era a unidade com o maior número de policiais com suspeitas de contaminação pelo novo coronavírus .

Leia também: Rio tem 94% dos leitos de UTI ocupados por pacientes de Covid-19 e beira colapso

Os policiais militares do Rio têm trabalhado nas zonas de bloqueios do transporte público - como trens, barcas e metrô - para autorizar a entrada de trabalhadores de outros municípios do Rio para a capital. Esses locais, muitas vezes, têm aglomerações. Muitos agentes denunciam falta de equipamentos de proteção - como máscaras - para trabalhar e também de álcool gel .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários