índio
Repórter Brasil
Até agora, o Brasil viu três mortes confirmadas por Covid-19 entre sua população indígena



Um juiz brasileiro proibiu um grupo de missionários cristãos de entrar em uma vasta reserva indígena da Amazônia com a maior concentração mundial de tribos isoladas, citando os riscos da pandemia de coronavírus como uma de suas razões.

Líderes e ativistas indígenas saudaram a decisão como "histórica" ​​e expressaram esperança de que ela pudesse impedir um genocídio no vale do Javari, uma reserva remota do tamanho da Áustria nas fronteiras ocidentais do Brasil.

"Diante dessa nova pandemia de coronavírus, queríamos garantir os direitos dos povos indígenas ao isolamento", disse Eliesio Marubo, advogado indígena que buscou a decisão em nome da associação indígena de Javari, Univaja.

O juiz federal Fabiano Verli baniu três missionários, Andrew Tonkin, Josiah McIntyre e Pastor Wilson de Benjamin, da reserva, juntamente com o controverso grupo missionário New Tribes Mission do Brasil, que comprou recentemente um helicóptero para converter povos isolados na região.

O juiz se referiu a artigos recentes sobre a vulnerabilidade de grupos isolados a doenças comuns que dizimaram suas populações no passado e autorizaram a polícia e o exército a expulsar qualquer um dos missionários encontrados na reserva. Até agora, o Brasil viu três mortes confirmadas por Covid-19 entre sua população indígena.

Especialistas da agência indígena Funai acreditam que 16 grupos isolados poderiam viver no vale do Javari. As preocupações com a segurança aumentaram quando um ex-missionário das Novas Tribos foi encarregado do departamento indígena isolado da Funai.

Verli escreveu que Tonkin, um missionário norte-americano, havia sido visto na reserva e observou "indicações claras de uma tentativa de assimilação cultural" de um grupo isolado.

O jornal brasileiro O Globo disse que Tonkin foi visto no ano passado tentando entrar em contato com um grupo isolado da tribo Korubo usando um hidroavião e estava preparando uma nova expedição. Tonkin disse ao O Globo que a acusação era de "fofoca".

A Missão New Tribes disse que o grupo retirou todos os seus missionários das reservas indígenas até 23 de março e "não trabalha com povos isolados". A Funai disse que o gabinete do procurador-geral do Brasil analisaria a decisão.

"Toda vez que esses direitos forem ameaçados no vale do Javari, iremos ao tribunal", disse Beto Marubo, líder indígena da reserva.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários