Mandetta:
Anderson Riedel/PR
Mandetta: "“Seja lá quem o presidente colocar no Ministério da Saúde, que ele confie e que dê condições para a pessoa poder trabalhar pela ciência"

Durante a coletiva realizada na tarde de hoje (15), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta , afirmou que deixará seu cargo em três circunstâncias. “Deixo o ministério quando o presidente não quiser mais meu trabalho, se eventualmente for afastado por uma gripe ou forças alheias à minha vontade, ou quando sentir que o trabalho feito não é mais necessário”.

LEIA MAIS: Mandetta nega pedido de demissão de Wanderson de Oliveira

O ministro ressaltou que todos os profissionais da Casa estão passando por “estresse”, e falou sobre descompasso da Saúde . “Todas as alternativas continuam, e são válidas. Claramente, há um descompasso entre o Ministério da Saúde. Vamos trabalhar até 100% do limite de nossas atividades”, afirmou. 

“Nada muda enquanto eu estiver no comando. O Wanderson que entregou um papel que eu mandei devolver. Entramos juntos e vamos sair juntos, mas vamos aguardar o entendimento das coisas”. 

Por fim, Mandetta expôs suas expectativas sobre um possível substituto. “Seja lá quem o presidente colocar no Ministério da Saúde, que ele confie e que dê condições para a pessoa poder trabalhar pela ciência. E que as cidades possam trabalhar com governadores e prefeitos para tomarem as melhores decisões”, afirmou.  “Parece que eu sou contra o presidente, ou que o presidente é contra mim. Não é. São visões diferentes de um mesmo problema. Não somos insubstituíveis.” 

Gabbardo diz que tem compromisso com Mandetta

João Gabbardo, secretário-executivo do Ministério da Saúde, minimizou as chances de assumir o lugar de Luiz Henrique Mandetta. “Eu saio junto do Ministro, mas não vou deixar a Casa durante o processo de transição. Estou há muitas décadas na Saúde, a população espera a continuidade”, afirmou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários