Caso o isolamento atual prolongado pelo governador João Doria para até dia 22 de abril seja suspenso em São Paulo, a cidade pode viver um cenário muito delicado. De acordo com estudo realizado pela Universidade de Brasília e pelo Centro de Contigência do Coronavírus em SP, em apenas um mês haveria falta de 3,7 mil leitos de UTI. Em dois meses, o número de pacientes com Covid-19 em estado grave sem espaço para serem internados saltaria para 5,7 mil. 

leitos hospitalares arrow-options
Reprodução / Unsplash
São Paulo pode sofrer com a falta de leitos caso o isolamento seja cancelado

Além da projeção para a falta de leito, o que ligou um sinal alerta, afinal, o presidente Jair Bolsonaro defende o fim do isolamento, o estudo também mostrou que com o modelo de isolamento atual ou com um mais "intenso", São Paulo não sofreria com a sobrecarga nos leitos. Isso vale também para os leitos de baixa complexidade, como os montados em hospitais de campanha

O estudo prevê que, sem o isolamento, 110 mil pacientes precisem ocupar algum tipo de leito hospitalar no estado, que tem apenas 28,3 mil deles disponível. Nesse cenário, até o próximo dia 13 acontecerião cerca de 5 mil mortes por Covid-19 no estado. Na situação atual esse número deve ser de 1,3 mil. 

Até o momento, São Paulo é a cidade mais atingida do Brasil com 5.682 casos e 371 mortes confirmadas (até o momento desta publicação). 


    Veja Também

      Mostrar mais