Com o intuito de dar transparência às ações e esforços no combate ao coronavírus no país, o Ministério da Saúde lança, nesta quinta-feira (2), um painel online para acompanhar a quantidade de leitos e insumos, como testes, máscaras, luvas, entre outros, disponibilizados em cada estado.

Leia também: Após relatarem sintomas da Covid-19, famosos são vistos circulando na rua

Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta
Isac Nóbrega/PR
Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta

O site tem o objetivo de informar à população tudo o que foi comprado ou doado e distribuído pelo governo para o enfrentamento da pandemia  de Covid-19

Leia também: Covid-19: Esgoto pode ser propagador do vírus, diz estudo

“Desde o início das ações de enfrentamento à doença no Brasil, o Ministério da Saúde tem divulgado suas informações de forma transparente. A ferramenta é mais um instrumento para dar cada vez mais visibilidade a todos os passos realizados pela pasta”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O painel foi montado pela equipe do Departamento de Monitoramento e Avaliação do Sistema Único de Saúde e os dados serão atualizados à medida em que os itens forem adquiridos e distribuídos pela pasta.

O painel de leitos e insumos traz um mapa interativo no qual disponibiliza os dados por localidade ao passar o cursor do mouse em cima do estado. As informações estão divididas em 9 gráficos: número de leitos locados (alugados), que são os leitos volantes de instalação rápida; leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pertencentes e não pertencentes ao Sistema Único de Saúde (SUS); kits de testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19 ; e insumos como, máscaras, álcool, aventais, luvas, óculos de proteção, sapatilhas e toucas hospitalares. Esses são insumos estratégicos para o enfrentamento dos profissionais de saúde contra o coronavírus.

Até o momento, o Ministério da Saúde repassou 40 milhões de itens a estados e municípios. O volume é suficiente para os estoques locais de cerca de 20 dias, além daquilo que os gestores locais já possuíam. Os materiais são necessários nos serviços de saúde, portanto, é natural que, assim que receba os produtos, eles sejam descentralizados para os estoques regionais.

A pasta mantém esforço constante na aquisição de mais equipamentos e insumos, buscando fornecedores nacionais e internacionais. Nesta semana, fechou uma compra de 200 milhões de itens, o que deve sustentar o sistema por cerca de 60 dias.

Leia também: Em isolamento, ex-Globo Mari Palma diz que os sintomas da Covid-19 persistem

Neste cenário de emergência em saúde pública, o Ministério da Saúde tem apoiado os estados e municípios na aquisição e distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) no enfrentamento do coronavírus. Contudo, há uma demanda mundial por conta da pandemia de Covid-19 , o que tem trazido escassez e dificuldades na produção e entrega desses insumos no cenário internacional, mesmo após a celebração de contratos.

As informações são da Agência Saúde *

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários