máscaras arrow-options
Pixabay/Juraj Varga
coronavírus

Para reduzir os impactos da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), o governo do estado de São Paulo  aumentou, nesta semana, a expectativa de produção de máscaras de proteção nos presídios do estado.

De acordo com o governador João Doria, agora a expectativa é de que a produção chegue a 50 mil unidades por dia, totalizando 4 milhões de equipamentos que serão usados pelas unidades de saúde .

O projeto inicial da ação - divulgada na semana passada -  propunha a produção de 26 mil unidades diárias, produzidas nas fábricas adaptadas nos presídios. Em coletiva de imprensa transmitida nesta quinta-feira, porém, o governo do estado informou que a meta foi expandida. 

Leia mais: Governo vai capacitar profissionais de saúde para combater Covid-19

A ação deve englobar cerca de 200 reeducandos de várias regiões do Estado, de penitenciárias masculinas e femininas, que vão confeccionar as máscaras de proteção descartáveis para uso em procedimento simples (não-cirúrgicos).

O serviço também implicará em redução na pena dos detentos, sendo três dias trabalhados equivalentes a um dia a menos na pena total. De acordo com o governador, “a obtenção de EPIs é um dos maiores problemas do mundo para lidar com a doença, e o brasil também está nesse contexto. Eles também vão ajudar a salvar vidas”, afirmou. 


    Veja Também

      Mostrar mais