Bruno Covas orienta cidadãos a não seguirem conselhos de Bolsonaro
Roberto Casimiro/Fotoarena/Agência O Globo
Bruno Covas orienta cidadãos a não seguirem conselhos de Bolsonaro


O prefeito de São Paulo , Bruno Covas (PSDB), não quer que a população paulistana siga as orientações do presidente Jair Bolsonaro sobre a conduta que deve ser adotada durante a pandemia do novo coronavírus . Em entrevista ao jornal O Globo, Covas disse que, se os cidadãos seguirem os conselhos de Bolsonaro, São Paulo terá um aumento drástico no número de casos de Covid-19 , assim como ocorreu em Milão , na Itália.

“Não tenho a menor dúvida de que se as pessoas forem seguir os conselhos do presidente, que não tem nenhuma base científica, a situação em São Paulo vai explodir como em Milão”, afirmou o prefeito da capital paulista.

Com cerca de 9 mil contágios, de acordo com o último balanço divulgado, Milão é a província da Itália com mais casos registrados de Coronavírus. Antes do pico, o prefeito da cidade, Giuseppe Sala , chegou a apoiar a campanha “ Milão não para ”, defendendo que as pessoas continuassem nas ruas para fazer a economia girar.

Leia também: Barroso proíbe governo de contratar campanha contra isolamento na pandemia

Depois que Milão passou dos 4,4 mil mortos, Sala reconheceu que a campanha foi um erro. A comparação com Bolsonaro vem à tona porque o presidente brasileiro chegou a articular uma campanha sob o título “ O Brasil não pode para r”. Na última segunda-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, proibiu a veiculação da ação.

"Bolsonaro atrapalha"

Para Bruno Covas , essa resistência de Bolsonaro a respeito do isolamento social atrapalha o combate ao coronavírus, principalmente por não estar alinhada com o que dizem os especialistas.

“Tem atrapalhado. Fazemos aqui o que apontam os médicos, cientistas e pesquisadores. Você sabe o que significa em meu currículo, como prefeito, fechar o parque do Ibirapuera, um cartão postal da cidade? As falas do presidente confundem. Há confusão dentro do próprio governo dele, o presidente fala uma coisa, ministro fala outra. Ele deveria reforçar a importância das pessoas colaborarem com o isolamento social”, afirmou Covas ao jornal o Globo.

Epicentro do novo coronavírus no Brasil, o estado de São Paulo tem 2.339 casos de Covid-19 notificados e  136 mortes causadas pela doença.

    Veja Também

      Mostrar mais