Governador de São Paulo João Dória
Repordução/twitter
Ato aconteceu durante coletiva de imprensa de Doria

Um grupo de aproximadamente 50 pessoas realizou uma manifestação contra o governador de São Paulo, João Doria, nesta sexta-feira (27) em frente ao estádio do Pacaembu, onde o governador realizava uma coletiva de imprensa. 

Leia também: De gripezinha a "não é tudo isso": vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

O protesto pedia o fim da “quarentena horizontal” e que fosse implementado uma “quarentena vertical” em São Paulo. Os termos utilizados pelos manifestantes contra Doria se referiam à fala do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), na última quarta-feira (25), que pedia por um isolamento social mais brando e voltado a grupos de risco. 

Os manifestantes se mostraram a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), estavam vestidos de verde e amarelo e traziam consigo bandeiras do Brasil. 

"Fora Doria, abre o comércio e deixa a gente trabalhar", gritaram os manifestantes. Os gritos puderam ser ouvidos dentro da coletiva e ecoaram na transmissão ao vivo do evento.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

O grupo havia organizado uma carreata que saiu do Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, até o estádio, que fica na Zona Oeste. Os manifestantes também realizaram gritos contra a imprensa, como "Globo lixo, CNN comunista e Jovem Putin".

João Doria, que recebeu ameaças por meio de mensagens de Whatsapp na noite desta quinta-feira (26), comparou os manifestantes às pessoas que o ameaçaram virtualmente chamando-os de agressores e 'bolsominions'. "Não tenho medo de cara feia, não tenho medo de bolsominion", afirmou o governador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários