pessoas de máscara
undefined
Pesquisa Datafolha mostra como os brasileiros estão encarando a pandemia do novo coronavírus no País

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (22) mostra o sentimento do brasileiro em relação ao avanço do novo coronavírus no Brasil . Para 73% dos entrevistados, a quarentena e o isolamento social são medidas acertadas. A pesquisa também indica que medidas como suspender aulas e proibir viagens tem ampla aprovação da população, que só é mais resistente ao fechamento do comércio. 

Leia também: Com casos em todos os estados, Brasil tem 1.201 infectados com coronavírus

A Datafolha ouviu 1558 adultos por telefone entre os dias 18 e 20 de março. Os resultados tem uma margem de erro de três pontos percentuais. Veja os detalhes:

Quarentena e demais medidas do governo

Segundo os dados, 73% dos brasileiros apoiam a  quarentena temporária com isolamento forçado em casa por conta da pandemia do coronavírus. Outros 24% são contra e 2%, indiferentes. 

Outras medidas das autoridades para tentar conter o avanço do vírus apresentam alta aprovação: 92% concordam com a suspensão de aulas, 94% aprovam a proibição de viagens internacionais e 91% são favoráveis à interrupção do futebol.

Já a suspensão de cultos religiosos é considerada adequada para 82% dos entrevistados. Porém o fechamento do comércio deixou o brasileiro dividido:46% são a favor, e 33%, contra.

Medo do coronavírus

A Datafolha também perguntou sobre o receio de contrair Covid-19 , a doença do novo coronavírus, e 74% disse ter medo, sim, de ficar doente. Desse total, 36% dizem ter muito medo e, 38%, um pouco. Mulheres estão entre as mais preocupadas: 44% dizem ter muito medo, ante 35% dos homens.

Além disso, a pandemia é considerada um problema sério por 88%. Até o momento,  18 mortes foram confirmadas e há mais de mil casos no Brasil. São Paulo e Rio de Janeiro concentram as vítimas.

Leia também: Vírus chega à Cidade de Deus e acende alerta em favelas do Brasil


Contaminação e casos fatais

Um dos principais grupos de risco, aqueles com mais de 60 anos, representam o maior índice de pessoas que acham que não serão contaminadas pelo vírus: 19%. No geral, 83% dos entrevistados acham que têm chances de serem infectados. Destes, 20% acreditam que o risco é grande; 33%, médio; e 30%, pequeno.

Na percepção da letalidade, os brasileiros estão divididos. Para 45%, muitas pessoas morrerão no país e 46% acham que serão poucas vítimas. Mas a ampla maioria concorda que os idosos serão os mais afetados (85%), seguidos dos mais pobres (50%).

Novos hábitos para conter o coronavírus

Os entrevistados também acham necessárias as mudanças de hábitos sociais no combate ao coronavírus. 90% consideram válido evitar os beijos e abraços como forma de cumprimento. Evitar aglomerações em bares e restaurantes têm apoio de 86%. Assim como fazer reuniões em casa (78%).

Muitos já têm aplicado a restrição ao contato físico em suas rotinas. Mais de 75% deixaram de beijar, abraçar ou dar as mãos nos cumprimentos. 43% cancelaram viagens.

Os hábitos de higiene para evitar o contágio também têm sido respeitados pela maioria. 97% dizem estar tomando precauções; 63% lavam mão e rosto e 46% usam álcool gel. Destes, 59% adotam algum tipo de isolamento social e 25% evitam aglomerações.

Quase todos os entrevistados disseram ter informações sobre o vírus e a doença (99%); desses 72% se consideram "bem informados".

Trabalho x coronavírus

De acordo com a pesquisa, 37% das pessoas pararam de trabalhar e 55% de ir aos estudos. Quase metade das pessoas afirma ter parado de sair às ruas (46%).

O trabalho em casa, no entanto, tem sido feito por apenas 1% dos entrevistados.

    Veja Também

      Mostrar mais