Ameaças foram enviadas pelo Whatsapp
WHATSAPP/REPRODUÇÃO
Ameaças foram enviadas pelo Whatsapp

Um policial militar de Fortaleza, no Ceará, foi encaminhado à delegacia após ameaçar uma jornalista de morte por mensagens de texto durante o motim da PM na cidade de Itapipoca, interior do estado.

Nas mensagens, divulgadas pelo jornal O Povo, o homem chama a jornalista de “vagabunda” e “jumenta”. "Vai morrer, tão dizendo que vão metralhar sua casa, já sabem onde vc mora, a vida de vcs está em risco, burra", diz trecho das mensagens.

Leia também: Governo do Ceará afasta 168 policiais por participação em motim

As ameaças teriam começado após a jornalista ter áudios criticando a paralisação dos policiais divulgados na internet. O número dela foi, então, repassado para outros grupos, assim como fotos da mulher.

A jornalista registrou um Boletim de Ocorrência e entregou o celular para os oficiais. As mensagens, então, foram rastreadas até o telefone do policial militar. Ele teve o aparelho confiscado para perícia. O policial pode ser obrigado a pagar multa ou passar por detenção de um a seis meses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários