chuva rio
Arquivo pessoal
O dono do imóvel que Diego morava na Rocinha tentou ajudar a família

Antes mesmo do temporal que causou destruição em vários pontos do Rio e da Baixada Fluminense neste fim de semana, a família de Diego da Silva Lopes, de 33 anos, já sofria com a chuva forte que caiu sobre a Rocinha na sexta-feira de carnaval. Ele, a esposa e as duas filhas, de 5 e 13 anos, perderam tudo dentro de casa, na Vila Verde, parte alta da comunidade. Agora, a família depende de doações para se reerguer.

Leia também: Previsão de chuva no Carnaval não desanima cariocas

Diego, que trabalha como vigia na Gávea, conta que a lama invadiu sua casa após um deslizamento de terra causado pela chuva na noite daquela sexta-feira, dia 21.

"Eu estava dormindo e acordei no susto. Quando vi, a lama já estava invadindo o imóvel pela janela e porta da sala. Perdemos geladeira, fogão, TV, roupas, tudo", afirmou, contando que a maioria das coisas foi comprada há três meses. "Comecei a trabalhar há cinco meses. Comecei a comprar as coisas há pouco tempo e agora já não tenho mais nada".

O vigia sustenta a família com um salário de R$ 1.200. Com o estrago, a esposa e as filhas buscaram abrigo na casa de uma parente em Cordovil, na Zona Norte do Rio . Enquanto isso, Diego já conseguiu alugar outro imóvel na Rocinha, mas não tem como receber a família em casa.

Leia também: Chuva em São Paulo deixa 24 mortos e 14 cidades em emergência

"Não tenho nada. Consegui a casa, mas só vou pagar o imóvel quando eu receber meu salário, no dia 15. Uma vizinha já me ajudou com roupas de cama e outra me deu duas bicicletas ergométricas para vender. Consegui R$ 100 com elas, dinheiro que já acabou", relatou a vítima da chuva . "O que eu mais preciso nesse momento é de um fogão, uma geladeira e alimento", enfatizou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários