agressão arrow-options
Reprodução
Mulher chegou a negar que seria ela nas imagens; confira mais informações sobre o caso

Uma família de Goiás registrou boletim de ocorrência contra a funcionária de uma creche que agrediu uma criança de três anos. As câmeras instaladas no berçário da instituição mostram a funcionária, identificada como Maria Selijania, ou Tia Seli, segurando a criança pelos braços e arremessando-a contra o chão.

LEIA MAIS: Barco com cerca de 60 pessoas naufraga no Sul do Amapá

O caso aconteceu em janeiro, mas a família decidiu esperar para revelar o vídeo à imprensa. A mãe conta que o garoto de três anos estava matriculado há pouco tempo no Ceei (Centro de Ensino Espaço Infantil Creche e Berçário). Em meados do quarto dia, a criança já não queria retornar à instituição; mas foi só no sexto dia de aula que o garoto informou para a família que havia sido golpeado na barriga.

A mãe entrou em contato com a agressora por áudio no Whatsapp. Maria Selijana rebateu, dizendo que a criança havia brigado com um colega. Intrigada pelas marcas de dedos nos braços do menino - claramente infligidas por um adulto - a mãe decidiu ir ao Ceei para solicitar a revisão das câmeras de segurança.

Regina Costa, diretora da instituição, informou ao UOL que Maria Selijania trabalhava na instituição há sete anos e nunca havia cometido agressões contra as crianças. A PM analisou as imagens e solicitou a presença da agressora na delegacia.

LEIA MAIS: PM apreende réplicas de pistolas e drogas em Bloco da Anitta

No princípio, Maria Selijania negou que fosse a pessoa nas imagens. Apesar de voltar atrás na declaração e admitir que se travava da própria, continuou negando as agressões.. Ela poderá pegar entre 2 e 8 anos de cadeia, além de ser condenada a cumprir mais um terço por se tratar de agressão de vulnerável.

    Veja Também

      Mostrar mais