Miliciano
Divulgação/Polícia Civil
Adriano da Nóbrega ainda não foi enterrado

O presidente Jair Bolsonaro cobrou nesta terça-feira uma "perícia independente" no copo de Adriano da Nóbrega , ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Rio de Janeiro suspeito de integrar uma milícia, que foi morto em uma operação da Bahia no último dia 9. Bolsonaro também voltou a levantar a possibilidade de que Adriano tenha sido executado.

Em publicação em redes sociais, Bolsonaro disse que "sem uma perícia isenta os verdadeiros criminosos continuam livres até para acusar inocentes do caso Marielle" — em uma possível referência ao fato dele próprio ter sido citado na investigação do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Leia também: Após solicitação do MPF, Adélio Bispo pode deixar presídio em Mato Grosso do Sul

O presidente fez o comentário ao compartilhar a notícia de que a Justiça decidiu que não é necessário preservar o corpo de Adriano.

Bolsonaro ainda questionou quem fará a perícia nos telefones apreendidos com o ex-capitão do Bope e levantou a hipótese de que mensagens e áudios podem ser forjados para acusar inocentes.

    Veja Também

      Mostrar mais