cadeia
Divulgação/Booking
Preso teve pena aumentada após violentar mulher durante visita íntima


Um homem que já estava preso foi condenado a mais 15 anos de reclusão depois de estuprar, bater, raspar a cabeça e marcar o seu nome na pele de uma mulher durante visita íntima na penitenciária de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. A sentença proferida pelo juiz  Edegar de Sousa Castro, da 3ª Vara Criminal da Comarca de São Bernardo do Campo, inclui ainda a entrada da vítima no programa de proteção às mulheres.

Leia também: Golpe: Homem espalhava ratos e fezes em hotéis para receber estadia de graça

De acordo com a denúncia, o preso teria se irritado com a mulher e teve uma crise de ciúmes. Depois do estupro, raspou o cabelo da vítima com um gilete e usou o mesmo equipamento para fazer uma marca com o seu nome.

A Secretaria de Segurança Pública abriu uma investigação para entender como o gilete chegou até o preso .

    Veja Também

      Mostrar mais