Tamanho do texto

Decisão de exonerar Guandu Júlio César Antunes, que tem 30 anos de empresa, foi tomada após crítica de Witzel em relação ao Cedae

fachada de estação de tratamento de água arrow-options
Cedae / Reprodução
Cedae

Após 12 dias de crise no fornecimento de água, com críticas de moradores quanto à sua qualidade, a Cedae decidiu exonerar o chefe da Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu, Júlio César Antunes, que acumula 30 anos na empresa.

A decisão foi tomada no mesmo dia em que o governador Wilson Witzel, por meio de suas redes sociais, criticou a companhia: "São inadmissíveis os transtornos que a população vem sofrendo por causa do problema na água fornecida pela Cedae". Witzel disse ainda que determinou "apuração rigorosa tanto da qualidade da água quanto dos processos de gestão da companhia".

Leia também: Witzel diz que pediu apuração rigorosa da qualidade da água da Cedae

Nesta quarta-feira (15), o presidente da Cedae, Hélio Cabral, concederá entrevista coletiva junto ao corpo técnico da empresa para detalhar que outras medidas serão tomadas.