Tamanho do texto

Entre os locais que não podem fornecer utensílios estão os hotéis, bares, restaurantes e padarias. Estabelecimentos terão um ano para se adaptar

copos plásticos arrow-options
Pixabay
Utensílios plásticos deverão ser biodegradáveis

A lei municipal que proíbe que estabelecimentos comerciais da cidade de São Paulo forneçam utensílios plásticos aos clientes foi sancionada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) nesta segunda-feira (13). Estabelecimentos terão até janeiro de 2021 para se adequar à norma.

Leia mais: Filha de Olavo faz “dossiê de mentiras” contadas pelo pai

Itens como garfos, facas, copos, mexedores de bebida e varas para amarrar balões em festas infantis devem ser substituídos por similares produzidos em materiais biodegradáveis, compostáveis ou reutilizáveis. 

A distribuição dos itens estão proibidos em hotéis, restaurantes, bares e padarias. Espaços para festas infantis, clubes noturnos, salões de dança e eventos culturais ou desportivos também estão inclusos na lista. 

Os locais que descumprirem a lei após o prazo estipulado serão penalizados com multa que pode variar de R$ 1 mil a R$ 8 mil. Caso haja reincidência, o local poderá ser fechado. 

Projeto de Lei

A Câmara dos Vereadores de São Paulo aprovou o Projeto de Lei nº 99/2019 em novembro, após a segunda votação. A primeira aconteceu em 18 de setembro. O vereador responsável pela autoria da lei que entrou em vigor nesta segunda-feira (13) é Xexéu Tripoli (PV). 

Leia também: Jovem é atingida por bala perdida no pescoço, na Linha Vermelha

Em São Paulo, 16,9% dos materiais levados para aterros públicos são plásticos . Por ano, 635 mil toneladas do material são recolhidos de domicílios anualmente.