Marielle foi morta  em março de 2018
Agência Brasil
Marielle foi morta em março de 2018

Um pedido da Advocacia Geral da União (AGU) vai adiar a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o pedido de federalização do Caso Marielle. O adiamento ocorrerá porque a AGU foi intimada pela ministra Laurita Vaz, que é relatora do processo, a se manifestar sobre o tema e alegou que não recebeu do STJ os autos ou quaisquer cópias "que tornassem possível ter conhecimento mínimo acerca do processo judicial".

Segundo as pervisões iniciais, o Incidente de Deslocamento de Competência (IDC), nome técnico do pedido de federalização, seria julgado pela 3ª Seção do STJ após o fim do recesso, em fevereiro.

Na petição, a diretora do Departamento de Serviço Público da AGU, Cristiane Souza Fernandes Curto, sustentou que a lei garante ao órgão o direito de receber a intimação acompanhada dos autos e ainda de ter prazo em dobro para a resposta.

A AGU representa os interesses do governo federal, incluindo os da Polícia Federal, que deverá assumir a investigação se o caso for federalizado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários