Tamanho do texto

Possível proliferação de carrapatos estrela, responsáveis pela transmissão da febre maculosa, é a maior preocupação dos moradores do condomínio

capivaras arrow-options
Pixabay
Animais deverão ser retirados até o fim de janeiro de 2020.

O Ministério Público atendeu o desejo de alguns moradores e efetuou um pedido para que 80 capivaras que vivem em um condomínio na cidade de Sorocaba , no interior de São Paulo, sejam removidas do local.

Leia também: Vai para o litoral? Saiba como está o trânsito nas estradas de São Paulo e Rio 

Possível proliferação de carrapatos estrela, responsáveis pela transmissão da febre maculosa , é a maior preocupação dos moradores do condomínio. Segundo a determinação do MP, as capivaras precisarão ser retiradas do local até o final de janeiro de 2020.

Em 2006, foi firmado um acordo entre a prefeitura, o condomínio e o MP que determinava que os animais deveriam ser retirados. O descumprimento do acordo previa uma multa diária de R$ 100. 

Além de Sorocaba, outras cidades próximas estão enfrentando problemas com os animais. Em Itatiba, um condomínio foi autorizado a matar 34 capivaras após uma morte causada pela febre maculosa em janeiro de 2019. Em junho de 2018, uma adolescente de 15 anos morreu por conta da febre em Salto.